POLICIA MILITAR PRESSSIONA PIMENTEL PARA ATUAR NO PROJETO QUE PREJUDICA A CATEGORIA

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), reúne-se na tarde desta segunda-feira, na Cidade Administrativa, com representantes de militares que reivindicam mudança no projeto de lei de renegociação da dívida dos estados com a União. O projeto pode ser votado nesta noite.

Os policiais e bombeiros pedem a retirada de dois pontos da proposta: o aumento da contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%; e o congelamento de benefícios, como promoções, por dois anos. Eles querem que Pimentel lidere um movimento de governadores para reivindicar ao governo federal que essas questões sejam reprovadas na Câmara dos Deputados.

O projeto pode ser votado em Brasília na noite desta segunda-feira, mas como a Câmara entra em recesso ao fim desta semana, existe a possibilidade de não haver deputados suficientes para votar a questão. Neste caso, a apreciação seria adiada. O tema é de interesse principalmente de estados em situação de calamidade financeira, como Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Centenas de militares saíram do Clube dos Oficiais, no Bairro Prado, na Região Oeste de Belo Horizonte, e caminharam até à Praça da Assembleia, no Bairro Santo Agostinho, na Zona Sul, onde permanecem em protesto contra as medidas.