CONFUSÃO E ATRITO ENTRE GUARDA MUNICIPAL E POLICIA MILITAR APÓS OCORRÊNCIA DE ROUBO

Viatura da Guarda Municipal de Belo Horizonte - GMBH
Um triste fato marcou o inicio da manhã do último domingo (18 de Junho de 2017) no Município de Contagem, quando Guardas Municipais de Belo Horizonte entraram em atrito com Policiais Militares.

Tudo começou, quando o Guarda Municipal Roberto Carlos, estando de folga e a paisana, vinha descendo a Avenida Princesa Izabel, Bairro São Joaquim, no Município de Contagem. 

Segundo versão do Guarda, um automóvel prata parou próximo a ele, e homens armados anunciaram um assalto, impossibilitando qualquer reação, sendo roubada sua arma de fogo particular, uma pistola Taurus de calibre .380 municiada com 15 cartuchos.

Diante os fatos, o agente acionou a Policia Militar e comunicou o ocorrido a Guarda Municipal de Belo Horizonte.



A partir dai, o que se viu foram uma série de desencontro de informações. A Policia Militar na pessoa do Tenente Martins se fez presente no local da ocorrência, onde o Guarda Municipal muito nervoso desejava dispensar a presença policial, pois segundo ele, a Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH) atenderia o fato, uma vez que a Policia teria demorado a comparecer.

Durante a parlamentação, foram chegando varias viaturas da Guarda Municipal de Belo Horizonte que não acataram a recomendação de não atuarem fora de sua jurisdição, sendo que o Guarda Municipal Carlos, vitima do assalto adentrou em uma das viaturas e todas elas partiram em rastreamento no Município de Contagem.

Enquanto estes fatos acima se desenrolavam, uma viatura policial comandada pelo Sargento Fernandes realizava rastreamento em busca do automóvel prata que teria roubado a arma do Guarda Municipal, momento que visualizou uma viatura da Guarda Municipal de Belo Horizonte e um automóvel parados na via publica, onde todos eles se encontravam em atrito verbal, na eminência de ocorrer uma agressão, pois ambos os lados se encontravam de armas nas mãos.

De imediato aquela equipe policial adotou as providências necessárias a segurança de todos e passou a entender o que ocorria:



O motorista do veiculo particular, trata-se de um Policial Militar, que se encontrava em trajes civis. O PM alegou que agentes da Guarda Municipal de Belo Horizonte estariam extrapolando suas funções constitucionais e territoriais, efetuando uma abordagem excessiva e arbitrária, razão pela qual deu inicio a toda confusão.

sirene e giroflex
Já os Guarda Municipais relatam que resolveram abordar o automóvel, pois as características eram semelhantes a apresentada como autores do roubo contra o colega. Que a confusão se deu, pois o PM não teria obedecido as ordens legais emanadas por eles, desrespeitado sua atuação profissional. E que pelo fato do Policial apresentar sinais de embriagues foi lhe dado voz de prisão.

A equipe Policial do Sargento Fernandes levou todos os envolvidos neste episodio lamentável para a  delegacia de Plantão de Contagem.

Testemunhas afirmaram que o Policial preso pela Guarda não apresentava sinais de haver ingerido quaisquer tipo de bebidas.

A corregedoria de ambas as Instituições irão apurar o caso.