PROMOTOR DE JUSTIÇA MANDA POLICIAL COLAR OS CASCOS E É PRESO POR DESACATO

O promotor de Justiça, Fábio Camilo da Silva, recém empossado no cargo (7 de Abril 2017), foi detido por Policiais Militares, que flagraram o membro do Ministério Público dirigindo embriagado na Rodovia Peixoto de Azevedo, no Mato Grosso.

Tudo aconteceu no sábado, dia (01 de Julho 2017), quando Policiais Militares abordaram o promotor, que apresentando sinais visíveis de haver bebido ficou irritado com a ação Policial, vindo a agredir um dos policiais, mando-o colar os cascos (que na gíria militar significa ficar em posição de sentido), em seguida joga o boné do policial ao solo e continua desacatando os agentes da lei, que fizeram sua condução até a delegacia da cidade.



O Promotor agora vai responder a inquérito Criminal e a um procedimento administrativo, todavia não ficou detido por possuir fórum privilegiado.

O Delegado responsável contou que o promotor esta sendo acusado de desacato e embriagues ao volante.

Assista a um pequeno vídeo, feito por um dos policiais durante a ação.


Comentários

  1. Nada que venha da justiça desse País me assusta, isso ai não vai dar em nada. E no mais Foi apenas uma pequena demonstração do caráter da justica do Brasil. Se julgam Deuses, acima de tudo e de todos, que podem fazer o que bem entender, sem serem importunado, que nao existe leis para eles. Que Deus abençoe e proteja os Militares, pois com certeza irão em frentar mais ainda a ira da insana justiça Que diga se passagem de justiça na verdade não tem nada.

    ResponderExcluir
  2. Graças a Deus q esse Policial não era eu... pq nakele momento, ele teria tomado um pombo sem asas pelo focinho a fora, q só ia acordar no hospital... desgraçado, trouxa, sem noção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior amigo é que não vale a pena. O melhor que foi frito foi a calma. Qualquer agressão por parte dos policiais eles perderiam seus direitos. Foi isto que o promotor tentou o tempo todo.

      Excluir
  3. Que absurdo! Que exemplo heim! Que Deus dê força e proteção a esses policiais...

    ResponderExcluir
  4. Ai ai... Não gosto nem de ver esses vídeo assim. Justiça? Cadê.

    ResponderExcluir
  5. Isso só me deixa mais curioso em saber até quando nós, o povo brasileiro vai aguentar toda essa sacanagem por parte dessa tal (justiça) sem fazermos absolutamente nada!!!!

    ResponderExcluir
  6. Deram poder pra esses filhos da puta, agora temos que aguentar. Esse cara nem bem tomou posse e já mostrou o caráter que tem...e o almofadinha nem preso vai....viva o Brasil, país da impunidade, começando pelo judiciário..

    ResponderExcluir
  7. Policial padrão manteu a calma ele e o parceiro e fez o que foi o correto levou o mesmo a DP mais próxima e fez assim o procedimento porém promotor tem privilégio infelizmente porquê o correto deveria ser preso mas agora e aguardar.PMs de parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Sem muitas palavras! Que B A B A C A !!!

    ResponderExcluir
  9. Um idiota desse deveria dar exemplo. Nem empossou e já está abusando de seu status, logo se mostrará um péssimo profissional, pq mal já é, e exibirá sua verdadeira face. verdadeira face

    ResponderExcluir
  10. O dia que um menor pegar ele ele ao inves vai esticar as canelas ai lembrará que promotor nao é ninguem diante do crime.

    ResponderExcluir
  11. Em se tratando do Brasil o q podemos esperar, ja a corrupçao esta em alta e ninguem cumpre as regras e aqueles que eram pra dar exemplo sao tbm transgressores da lei....

    ResponderExcluir
  12. Queria ver esse almofadinha falar isso de frente com um criminoso, quando estiver de frente vai borrar as calças. Péssimo exemplo para o Judiciário. É u desquilibrado e hipócrita.

    ResponderExcluir
  13. Existem promotores comprometidos com o trabalho e que prestam ótimos serviços a sociedade, que respeitam e reconhecem a dificuldade do trabalho policial. Mas também existem escórias como este, que compõe o poder judiciário... agora foro privilegiado é sacanagem com o brasileiro!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário