GRUPOS DE WHATSAPP INVADIDOS. SAIBA COMO É E QUAIS OS RISCOS

Uma nova febre no aplicativo WhatsApp vem causando transtornos a usuários do apk.

Hackers descobriram uma formula para adentrar ao grupo na condição de administrador, e em seguida, após várias mensagem do tipo "YAKUZA INVADIU", eles poluem o grupo com uma série de postagens desagradáveis, alertando sobre a invasão. Feito isto, deletam os usuários do grupo, dando um termino nele.

O administrador do site PoliciaMG, estudou sobre o assunto, e acabou aprendendo como o método é feito. Não entraremos a fundo no processo, pois não desejamos motivar ações delituosas e desagradáveis como esta, mas em resumo, podemos afirmar que o método funciona da seguinte forma.

O Hackers precisam ter conhecimento do link de acesso ao grupo alvo da invasão.
Em seguida, ele habilita um grupo diferente do alvo, no qual ele é administrador. Dando continuidade, ela acessa o aplicativo via navegador web (WhatsApp Web) no navegador preferencialmente no navegador Mozilla Firefox.



Feito isto, o invasor, já conhecendo o link do grupo, o qual deseja invadir, utiliza um script especifico, modificando o código fonte da página, fazendo com que o Whatsapp entenda que o novo usuário adentrando ao grupo, trata-se de um administrador de grupo.

Por mais complicado que possa parecer a explicação, infelizmente o processo é bem simples, para uma pessoa com médio conhecimento em programação.

A boa noticia, é que a falha esta sendo corrigida em versões atuais do aplicativo. Podemos dizer com total segurança, que o HACKER invasor neste processo, não ROUBAM dados de usuários, nem possui condições para acessar quaisquer dados.

O site PoliciaMG, aproveita a oportunidade para esclarecer aos usuários, que LINKS DO TIPO: tenha emotins gratis, descubra quem lhe bloqueou entre outros, tem por objetivo apenas direcionar o usuário a endereços na WEB que pagam por acesso ao site. 

É um procedimento sujo e desonesto utilizado por pessoas que desejam ganhar dinheiro na internet, burlando os mecanismos legais. Os link em questão, não roubam dados de celulares, mas podem implantar um virus de navegador, forçando o usuário do aparelho a acessar sites sem o seu consentimento.
PoliciaMG Página inicial

Comentários

Postar um comentário